segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Luzes da cidade.

Hoje eu posso ser a mão
que te leva pra casa
Hoje eu posso ser a ausencia da falta
Seu corpo parece cansado
esperando uma zona de conforto
E já estamos indo pra casa

Agora voce tem que ficar bem
E me sorrindo assim
qualquer tipo de duvida vira verdade
alarma a sirene do teu peito
esquenta, aquece
doi
e voce nunca esquece
E a gente vai indo pra casa
iluminados pelas luzes das cidade

Os raios de fora
confrontando nosso escuro
nossos olhos, nosso agora
Atentos na movimentação
em ruas quase desertas
no cheiro e na respiração
nas curvas e nas retas

As estrelas de varios volts que nos cercam

3 comentários:

  1. "Os raios de fora confrontando nosso escuro".
    Bravíssimo!!!!

    ResponderExcluir
  2. - como leitora ou como alessandra?

    ResponderExcluir
  3. sensacional.
    me sinto dentro do texto , sempre que leio.

    ResponderExcluir